Pesquisar neste blog

Carregando...

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Resenha: Memórias Póstumas de Brás Cubas (Machado de Assis)

Título: Memórias Póstumas de Brás Cubas
Autor: Machado de Assis
Editora: Scipione
Nº de páginas: 88
Sinopse: É após a morte que Brás Cubas decide narrar suas memórias. Nesta condição, nada pode suavizar seu ponto de vista irônico e mordaz sobre uma sociedade em que as instituições se baseiam na hipocrisia. O casamento, o adultério, os comportamentos individuais e sociais não escapam à sua visão aguda e implacável, nesta obra fundamental de Machado de Assis.









Memórias Póstumas é um livro um tanto fraco se for comparado com a outra obra de Machado de Assis, Dom Casmurro, mas mesmo assim consegue entreter o leitor do começo ao fim ao mesmo tempo que faz uma crítica, com muitas figuras de linguagem, à sociedade carioca do tempo do autor.

O livro de Machado já começa de maneira inusitada, um defunto contando sua história de vida, começando a partir de seu funeral, voltando pelos dias em que ele estava doente, e retornando até sua infância, a partir desse ponto a narrativa segue de maneira normal, e vemos o amadurecimento do protagonista, que era extremamente peralta e tinha grandes ambições de vida. Brás conta sua história de uma maneira que nos dá a impressão de que estamos falando diretamente com ele, pois a todo o momento ele interrompe a história e faz comentários filosóficos ou irônicos, tirando nosso foco do relato.

Cubas não é exatamente o que eu chamaria de modelo ideal de protagonista, embora ele seja uma boa pessoa ele é muito arrogante, festeiro, galanteador e até avarento, mas isso é apenas um reflexo da sociedade em que ele vive, por isso, mesmo não apreciando a conduta dele é bem interessante examiná-lo. O mais interessante de se avaliar são seus interesses amorosos, sempre havia algum motivo para seus romances não darem certo, fosse por causa de um simples defeito na perna (algo inaceitável para ele) até o fato de uma delas já ser casada.

Mesmo esta obra tendo vários pontos positivos a seu favor ela tem alguns defeitos que não permitem ela chegar ao nível excelente, como os vários vãos espalhados por ela, por exemplo, do nada o melhor amigo de Cubas, Quincas Borba aparece, some, depois reaparece de novo, e sem explicações do quando ele foi, por que foi e por que voltou, ele simplesmente aparece do nada (Oi? Coerência?). Sem falar que o último capítulo não conseguiu ser marcante como o fim de Dom Casmurro, ainda que contenha uma boa reflexão, afinal, quem lê o título da obra já sabe o destino de seu protagonista.

Enfim, Memórias Póstumas de Brás Cubas é um livro que com certeza merece ser lido, seu grande número de metáforas e a personalidade do protagonista permitem que o leitor faça várias reflexões durante a leitura. É um livro que acrescenta algo na sua vida.

Nota: 8.0

OBS: Vocês meus caros leitores talvez não saibam, mas Manuel Antônio de Almeida (autor de Memórias de um Sargento de Milícias) e Machado de Assis se conheceram, e Manuel até chegou a dar umas dicas de literatura para Machado, sabendo disso eu me pergunto, será coincidência os protagonistas dos dois autores serem tão rebeldes na adolescência?

13 comentários:

  1. Li os dois para o vestibular, há 3 anos atrás. Vou te falar que gostei muito dos dois, e a natureza do protagonista é exatamente como vc disse: Reflexo da própria sociedade.

    Quincas Borba é realmente um equívoco nesse livro, mas na essência, é um conto excelente.

    Grande abraço!
    satierff.blogspot.com
    @osatierff

    ResponderExcluir
  2. Tive que ler Memórias Póstumas e assistir o filme pra um trabalho de literatura faz uns anos.
    Na época foi um livro que não fez diferença alguma na minha vida. Eu tinha curtido muito mais O alienista ( na verdade é um conto, mas ele é a minha verdadeira referência de Machado de Assis), A normalista e Dom Casmurro e achei esse livro fraco, sem graça e até dispensável.
    Hoje, depois de ter amadurecido (ou não) na leitura, sinto que eu devia ler esse livro outra vez. Não só esse, mas todos os outros que eu li na escola e morri pra terminar. Mas eu tenho tanto trauminha que não sei se consigo. 8D

    taiyounorakuen.blogspot.com
    @taiyounorakuen

    ResponderExcluir
  3. Cara, o Submarino foi o site de compra mais fácil que eu já mexi e é todo auto explicativo. Você faz o cadastro, clica no produto, coloca seu CEP pro frete, clica em comprar e vai seguindo as instruções. Eu compro pelo cartão de crédito, então é mais rápido ainda. Só colocar os numeros do cartão, o código de trás e ponto. =3

    ResponderExcluir
  4. Adoro Machado!! Li vários dele sem que me obrigassem! rsrsrs Estou seguindo o blog, voltarei mais vezes! Abraços.


    elasleram.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Nunca li, morro de vontade.. Mas tenho medo de ler, pela linguagem usada.. Mas vou arranjar um tempinho para ler. Gostei da resenha. E acho que vou gostar do livro.. inusitado ! Adoro ! Suhassuh

    Fernando

    http://nerdliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu não tenho vontade de ler kkkk, mas preciso tudo culpa do vestibular =/
    Espero gostar do livro, mas pela sua resenha deu para ver que não irei gostar =/
    Pelo menos ele tem 88 páginas.

    Bianca
    Um Universo Fantástico

    ResponderExcluir
  7. Acho a história muito interessante, principalmente o começo inovador, e entre aspas revolucionário.

    Concordo com sua opinião quanto à coerência em algumas partes, mas, entre erros e acertos, esse e outros livros consagraram Machado de Assis como um dos maiores autores do Brasil.

    Abraços,
    G. Pedro
    skoobeiros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Morro de vontade de ler, mas ainda não tive oportunidade!
    Bjs, Ruama.
    http://esquiloscorderosa-ruama.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. A obra é em sua essência, revoluvionária, talvez esses pontos negativos a mim não passam de detalhes. Dom Casmurro é colocada como a obra suprema de Machado de Assis, embora a minha preferida dele é Memórias Póstumas de Brás Cubas. Quando a li entendi o motivo de ser apontado como o maior escritor brasileiro.

    ResponderExcluir
  10. Olá. Vim a pedido de uma amiga. Ela quer saber qual o clímax do livro. Aguardo sua resposta.

    ResponderExcluir
  11. Amei de paixão a obra. Muito inusitada, esse tom irônico que ela é carregada me fascina, trazendo uma pitada de humor também. Simplesmente aos que gostam de histórias "avessas" digamos assim, é recomendável Brás Cubas. Leio e Recomendo! Uns abraços.

    ResponderExcluir
  12. Obrigada pela resenha, tenho muita vontade de ler esse livro! Bj!

    ResponderExcluir
  13. Amei sua resenha , super bem feita .... Vistem meu blog .http://estanteliterarianews.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

A opinião dos meus leitores sobre os meus textos são muito importantes para mim, assim nós podemos interagir e eu posso sempre tentar melhorar o blog para eles, então por favor escreva a sua opinião sincera sobre os meus artigos e eu ficarei feliz em retribuir comentando também no seu blog, se você tiver um.
Abraços.
@RodCBorges